Bateu uma saudadizinha da minha infância.. =/

Hã, estou sem assunto esses dias para postagens. Vou falar sobre qualquer coisa que venha a minha mente. Tava aqui lembrando do tempo em que comecei a usar o orkut. Era incrível como toda corrente de recado eu respondia. Mandava pra varias pessoas e nunca nada dava certo. kk'  É incrível que quando somos mais novos idealizamos um mundo tão bonito, tão legal. Um mundo onde não a falsidade, mentiras, nem nada do tipo. E quando começamos a crescer começamos a ter ideia que o mundo não é tão bom assim. Isso doi sabia ?! Sinceramente eu gostava do tempo em que brincava de bola, do tempo em que tinha amigos homens e por isso sempre ouvia a verdade. Não que as mulheres não sejam verdadeiras, mas é mais fácil um garoto dizer que você esta feia do que sua melhor amiga ^^ rs'
Sinto saudade do tempo em que passava mais tempo no quintal do que na frente do pc. Que gostava de tomar banho de bacia, e passava a semana toda juntando dinheiro para o dia de ir no supermercado. É, mais uma vez tô aqui relembrando minha infância, esses dias tenho sentido tanta saudade dela =/ . Cada dia que passo percebo que o mundo que sempre idealizei nunca passou de um mero sonho, que as pessoas podem sim ser mesquinhas, mentirosas e idiotas. E que infelizmente ate eu posso me tornar assim. E o que mais me doi é saber que por mais que eu tente não ser, não consigo voltar a ser como antes.. Voltar a ser aquela menininha que andava descalça, descabelada e com a roupa suja no meio da rua e não se importava com o que os outros iriam dizer. Sim, eu sinto falta de acreditar que amigos de verdade existem, que eles são anjos em nossa vida e que nunca iriam nos magoar. Eu sinto saudade de achar que o casamento pode durar pra sempre e que minha familia é a mais feliz que existe. Hoje eu só queria voltar a ser criança, um dia só.. Só para matar a saudade de não me preocupar com nada, de poder brincar de bola, de poder rir dos desenhos animados, de poder ser feliz e acreditar que nada irá mudar =/





Beijos e Fui...

Share this:

CONVERSATION

1 comentários:

  1. Silas Correa Leite
    Quase Noturno (Poeminho Pueril da Infância Risadora)
    -A infância onde eu nasci tinha gordos ariticuns de gomos amarelos no quintal
    Também tinha pés de mandorovás e pencas de camaleões entre urtigas
    A mãe fazia bolinho de piruá e pastel de couve-manteiga
    Os vaga-lumes despencavam do céu como lágrimas de estrelinhas ridentes
    ... As bananeiras apontavam majestosos cachos com corações rubros como as belas pinturas maroteiras do Jorge Chuéri
    Joaninhas brincavam de roda-cotia ou de esconde-esconde com posudas lagartas de couve
    Pardais cerriam na laranjeira carregadinha de tons poentes da cor de garrafinhas de crush
    As jabuticabas eram bolinhas de gude coladas com gosma-lacta no tronco viscoso
    O pai músico afinava o bandolim amelado e tomava melhoral com açúcar cristal
    A mãe fazia torta de lágrimas com um pouco de serralha entre orações com asas
    Eu brincava de ser poeta inventando palavras e cerrindo das borboletas de veludo que pedalavam a seda do ar outonal
    Era quando a mãe de-vereda chamava a gente para lavar os pés, jantar e ir dormir
    Então o baita lampião Aladim do sol se punha e um rancho de sucrilhos de estrelas salpicava o céu cor de toddy de Itararé
    E nessas horas bentas eu era o guri espeloteado e pimpão mais feliz do mundo
    Quando “Itararezinha” era minha sagrada Terra do Nunca, Pasárgada, Shangri-lá...
    E a infância de talco Johnson onde eu nasci era de um céu pueril e viajoso como uma Itararé encantada aqui mesmo.
    -0-
    Silas Correa Leite - Estância Boêmia de Santa Itararé das Artes, Cidade Poema
    E-mail: poesilas@terra.com.br Blogues: WWW.artistasdeitarare.blogspot.com/
    WWW.itarare.com.br ou WWW.portas-lapsos.zip.net
    Poema da Série “Eu Era Feliz e Não Sabia”

    Ver mais

    ResponderExcluir