Inspirada

Quando era criança minha visão do mundo, como qualquer outra pessoa, era bem diferente do que vivo hoje. Porém, percebo ainda em atitudes minhas coisas que me restaram daquela criança. Olho as pessoas que me cercam e noto que poucas pertencem aqueles tempos de criança. Noto também que aquelas que pertenciam aquele tempo nem olham mais para mim. Muitos preferem usar mascaras descartaveis de beleza, fingindo possuir uma felicidade que nem sequer existe realmente. Eu por outro lado, prefiro ver a realidade de cada detalhe que me cerca. Por mais que possa ser engenua em certas ocasiões, tento ver ainda a beleza que toda criança tem ao ver a vida como acha que ela é. Para mim mascaras descartaveis ou não, nunca me servirão. Felicidade em si é ser quem você quer ser, e não o que a sociedade lhe obriga. Ser ou não feminina não definira seu carater, muito menos dirá quem você realmente é. Penso que realmente posso não me enquadrar no padrão que a sociedade pre-dispoe para mulheres, e ate mesmo posso ser taxada de diversas coisas que a mim nada acrescentam, porem sinto- me livre para fazer escolhas que me agradam. Escolhas que me libertam. Escolhas pelas quais eu realmente escolhi. Permita-se.

Share this:

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário